Páginas

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Novos curativos para cirurgia de nariz garantem um pós-operatório menos traumático

O cirurgião plástico Dr. Alan Landecker, editor da área de Rinoplastia do site Plastic Surgery Education Network (PSEN), garante que o curativo é primordial na recuperação do paciente. Um dos principais transtornos para os pacientes submetidos à rinoplastia é o processo pós-cirúrgico, que costuma ser dolorido e bastante traumático, pois o rosto permanece inchado e muito sensível por algum tempo. Para tornar esse período de recuperação mais rápido e menos doloroso, o Dr. Alan Landecker (CRM 87043), Membro Titular e Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), desenvolveu e passou a utilizar dois novos curativos em seus procedimentos. São eles: um splint para a parte interna, feito de silicone com uma canaleta embutida para permitir a passagem do ar, e uma tala nasal para uso externo.



De acordo com o especialista, o splint comprime os tecidos ao redor do septo, com o objetivo de orientar a cicatrização após a retirada dos enxertos, minimizar o acúmulo de sangue no local e manter o septo retificado. A grande vantagem desse curativo é a eliminação do uso de um tampão, permitindo que o paciente saia do centro cirúrgico respirando pelo nariz, o que aumenta muito o conforto durante a recuperação.
Para complementar o procedimento, por fora do nariz é realizado um curativo com micropore e uma placa moldável e aderente de alumínio, revestida por uma camada de espuma. De acordo com o Dr. Alan Landecker, essa tala nasal, que é retirada após sete dias, tem como finalidade imobilizar os tecidos esculpidos durante a cirurgia de nariz, até que o corpo produza tecido de cicatrização suficiente para manter os ossos e cartilagens em sua nova posição.

A recuperação após a rinoplastia

Segundo Dr. Alan Landecker, a recuperação de uma cirurgia de nariz evolui, normalmente, de acordo com essas fases: a pessoa tem um inchaço significativo até o terceiro dia. Este inchaço vai diminuindo até o sétimo dia, quando são retirados os curativos. Em geral, uma grande melhora será notada após 1 a 2 semanas, quando o paciente poderá voltar ao trabalho. Depois de um mês de cirurgia, o inchaço é praticamente imperceptível às pessoas que convivem com o paciente. Mas, clinicamente, sabe-se que cerca de 80% do inchaço desaparece nos primeiros 90 a 120 dias, mas os 20% restante demoram de 1a 3 anos. "Por isso a análise do resultado final da plástica no nariz requer paciência. É importante frisar ainda que o cirurgião plástico deverá acompanhar de perto a evolução do paciente após a cirurgia", finaliza o médico.

Perfil

Dr. Alan Landecker, formado em Medicina e Cirurgia Geral pela Universidade de São Paulo, iniciou sua formação em Cirurgia Plástica com o Professor Ivo Pitanguy, com quem trabalhou durante três anos. Tornou-se Membro Titular e Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira em Cirurgia Plástica (SBCP) e, também membro da prestigiada International Society of Aesthetic Plastic Surgery (ISAPS). Realizou pós-graduação/especialização clínico-cirúrgicas nas Universidades de Miami, Alabama, Pittsburgh, New York e Texas Southwestern, um dos mais importantes centros de formação  em cirurgia plástica dos Estados Unidos, o que permitiu desenvolver estudos que foram apresentados em eventos científicos e publicados em revistas internacionais especializadas.

2 comentários:

  1. Que interessante,aquele tampão pelo que me contaram era horrível e doía horrores na hora de retirar!!!

    ResponderExcluir
  2. Ainda bem que estou demorando para fazer minha rinosplatia.

    ResponderExcluir

Olá Meninas:

Não deixe de comentar, se quiser deixe o link do seu blog para que eu possa conhecer.
Sua opinião é muito importante para mim.

Bjkas
VAN

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...