Páginas

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Cirurgia Plástica na infância e adolescência pode ser necessária para evitar bullying

A Otoplastia, correção da orelha de abano, e a Rinoplastia, cirurgia de nariz, podem ser indicadas ainda na infância
Quem tem, ou teve “orelha em abano”, sabe como é difícil agüentar as piadinhas, desde criança. O mesmo pode acontecer na adolescência com uma pessoa que, de acordo com avaliações de terceiros, tenha seu nariz com tamanho considerado desproporcional. São características físicas que podem gerar bullying, que se manifesta, principalmente, por meio de gozações que afetam a socialização do indivíduo e seu equilíbrio psicológico.
De acordo com o cirurgião plástico Dr. Alan Landecker (CRM 87043), Membro Titular e Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), membro da International Society of Aesthetic Plastic Surgery (ISAPS), em ambas as situações é possível buscar orientação de um cirurgião plástico. “Antes de qualquer decisão, é necessário que os pais e a criança ou adolescente converse longamente com o médico, pois este irá avaliar a real necessidade da cirurgia e se a idade da criança ou adolescente condiz com o tipo de procedimento que deverá ser executado”, esclarece o especialista.
As orelhas em abano geram, normalmente, um desequilíbrio perceptível no rosto e prevalecem na raça branca, costumando atingir 5% desta população, sendo que mais da metade herdou a característica dos pais. “Essa alteração é causada por uma interrupção do desenvolvimento embriológico durante a gestação. Trata-se de uma proeminência excessiva da orelha e falta de definição das suas curvas cartilaginosas”, explica o médico.
Várias técnicas de otoplastia foram desenvolvidas pela cirurgia plástica nas últimas décadas, o que possibilita corrigir o problema com a segurança necessária. Segundo o Dr. Alan Landecker, a grande melhora visual e psicológica obtida na vasta maioria dos operados torna este procedimento gratificante para o paciente, já que remove os excessos de cartilagem, esculpe as suas curvas e posiciona as orelhas mais próximas a cabeça. Esta cirurgia plástica corretiva pode ser realizada em crianças a partir de quatro anos de idade.
Outro processo cirúrgico bastante procurado pelos pais a pedido dos filhos é a rinoplastia. Recentemente, um caso de bullying na rede social Facebook foi relatado pela televisão norte-americana ABC e motivou uma rinoplastia em uma garota de 13 anos, que devido a várias fraturas na infância teve o seu nariz deformado e não suportou as brincadeiras dos colegas. A pedido da filha, a mãe procurou um cirurgião e autorizou a intervenção. De acordo, com o Dr. Alan Landecker, casos como este são bastante comuns, mas precisam, antes de tudo, serem bem avaliados pelo médico e pela família do paciente.
O nariz ocupa uma posição central na face, sendo responsável em grande parte pela harmonia do rosto. Consequentemente, alterações até mesmo discretas no seu formato são capazes de gerar desequilíbrio. “O papel do cirurgião plástico é buscar equilíbrio entre o nariz e a face de uma forma que preserve a naturalidade do rosto e realce suas feições. Ao longo dos anos, várias técnicas foram desenvolvidas, visando adequar o formato do nariz às características individuais de cada paciente”, finaliza o especialista.  

 Perfil
Dr. Alan Landecker, formado em Medicina e Cirurgia Geral pela Universidade de São Paulo, iniciou sua formação em Cirurgia Plástica com o Professor Ivo Pitanguy, com quem trabalhou durante três anos. Tornou-se Membro Titular e Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) e, também membro da prestigiada International Society of Aesthetic Plastic Surgery (ISAPS). Realizou pós-graduação/especialização clínico-cirúrgicas nas Universidades de Miami, Alabama, Pittsburgh, New York e Texas Southwestern, um dos mais importantes centros de formação em cirurgia plástica dos Estados Unidos, o que permitiu desenvolver estudos que foram apresentados em eventos científicos e publicados em revistas internacionais especializadas.
Após alguns anos de prática no Brasil, Dr. Alan Landecker voltou aos Estados Unidos a convite do Dr. Jack P. Gunter, um dos criadores da técnica de Rinoplastia Estruturada. Tornou-se então, especialista em cirurgia plástica de nariz pela University of Texas Southwestern, sendo atualmente instrutor do prestigiado Dallas Rhinoplasty Symposium (curso teórico-prático em cirurgia de nariz, realizado anualmente em Dallas, Texas – EUA), além de ser autor de vários capítulos do livro Dallas Rhinoplasty: Nasal Surgery by the Masters, best seller mundial sobre cirurgia de nariz, atualmente. Desde setembro de 2010, passou a integrar a equipe de colaboradores do Plastic Surgery Education Network (PSEN), um novo website educacional criado pela American Society of Plastic Surgeons (ASPS), uma das mais importantes entidades de cirurgia plástica do mundo.

Procedimentos realizados pelo Dr. Alan Landecker:
Nariz – Face – Mamas – Implantes Mamários - Abdome – Lipoaspiração – Pálpebras – Orelhas – Braços – Coxas Cirurgia Reparadora - Procedimentos corporais e faciais estéticos.

Clínica Alan Landecker
Al. Gabriel Monteiro da Silva, 2.738
Telefone: (11) 3032-9977

2 comentários:

  1. ótima postagem...esse é um problema q vem aumentando nas escolas
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Oi Linda, adorei o post ,é um assunto bem interessante e polemico,mas nos dias de hoje acho que qualquer mãe que tenhas posse e pode bancar á cirurgia ,é valido para o bem da criança, eu pessoalmente não sei se faria num filho me tenho paura de cirurgia ,kkk,bjs.

    ResponderExcluir

Olá Meninas:

Não deixe de comentar, se quiser deixe o link do seu blog para que eu possa conhecer.
Sua opinião é muito importante para mim.

Bjkas
VAN

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...